Loading

Cada vez mais a Consciência Ecológica vem sendo assimilada pelo ser humano. No lar, nas escolas, universidades e meios de comunicação, tem-se dado ênfase a necessidade de que, ao preservarmos os Recursos Naturais, estaremos preservando a própria existência do Homem.

Vito Zummo

A todo o momento, ouvimos ou vemos informações sobre a preservação das florestas, o uso da sacola plástica, o descarte de bombonas plásticas, a necessidade da economia de água, de energia elétrica, de combustível, de preservação dos mananciais de água e recursos hídricos. Esta discussão se faz necessária, porque nossos Recursos Naturais já estão próximos do esgotamento, abaixo da demanda atual e com perspectiva de agravamento em razão do crescimento demográfico projetado para os próximos anos.

Mais do que nunca, é necessário modificar hábitos! Nosso Futuro depende do que fizermos hoje!

A Preservação desses Recursos passa, invariavelmente, pela Reciclagem. Antes de se fabricar um produto pensa-se na sua reciclagem, procedimento que já atingiu valor ecológico e econômico consideráveis.

Reciclar é um bom negócio para a Terra e para o bolso!

Aumentar a vida útil de um produto oriundo da Natureza pode ser considerado como um meio de preservação. Um exemplo bem ilustrativo é o da filtragem do óleo de fritura, feito por máquina de filtrar dotada de filtro de papel reciclável, que retira as substâncias sólidas do óleo de cozinha, provenientes dos alimentos fritos, as quais ficam em suspensão ou depositadas no fundo da fritadeira.

A correta e eficiente extração desse material sólido através de um filtro, além de melhorar a qualidade do alimento, possibilitam maior durabilidade ao óleo de fritura, podendo chegar a 50% a mais de aproveitamento, para depois ser reciclado.

Tem-se, portanto, dois procedimentos da mais alta importância, um objetivando melhor aproveitamento de um produto oriundo da Natureza, cuja manipulação incorreta pode ser altamente prejudicial ao Meio Ambiente, e o outro, a reutilização de material que inevitavelmente seria descartado.

Na medida em que a filtragem possibilita a redução do consumo de óleo, tem-se um percentual menor de descartes nocivos, reduzindo-se as conseqüências maléficas a Natureza, em especial aos lençóis freáticos.

Neste processo, a utilização de instrumentos e fitas especiais sensíveis, desenvolvidas especialmente para medir o grau de deterioração do óleo e o momento certo do seu descarte, possibilitou o uso da filtragem do óleo de fritura não só para reduzir custos, mas, também, para melhorar a qualidade da fritura.

Existem diversas maneiras e equipamentos de se filtrar óleo; com bomba, por gravidade, acoplado ou independente da fritadeira, todos com a mesma finalidade, com níveis de menor ou maior dificuldade operacional, que requerem leitura atenta dos manuais de instrução, treinamento de pessoa maior habilitada e cuidados com a segurança por causa da alta temperatura do óleo quando em uso.

Há um equipamento de filtrar o óleo, o Vito, que é colocado dentro da fritadeira por 5 minutos e que faz a filtragem na temperatura de fritura, ou seja, até 180°C. Nesse curto período, dentro de uma fritadeira com capacidade de 20 litros, filtrando na velocidade de 50 litros/minuto, todo o óleo será filtrado a cada 24 segundos, significando um volume continuo de 250 litros, com captura de resíduos de até 5 microns, através de um "pente" de filtros, com 48 secções de filtragem, garantindo alta eficiência.

Trata-se de uma evolução quanto a qualidade da alimentação e proteção ao Meio Ambiente, com sensível redução dos custos, muito embora não signifique uma solução final porque, apesar desses filtros retardarem as alterações químicas, que ocorrem no óleo durante a fritura, fatalmente elas chegam a um ponto de saturação, onde não será mais possível sua utilização, quando deverá ser descartado para reciclagem e uso na fabricação de sabão e outros produtos.

Existem empresas especializadas nesse descarte. O recomendável é que só se entregue o óleo a elas, para se assegurar de que tenha o destino correto e desejado.

Recentemente, em uma campanha digna de registro, as panificadoras de São Paulo, através do Sindipan, se prontificaram a receber o óleo de fritura, utilizado pelos seus clientes, mesmo tendo sido comprado em outros estabelecimentos. É uma forma louvável de ajudar na preservação do Meio Ambiente!

Esse óleo de fritura é colocado dentro de bombonas plásticas especiais e entregue as empresas de reciclagem.

Concomitantemente a essa nova geração de equipamentos, que contribuem para o nosso Meio Ambiente, um outro componente de peso foi incluído nesse contexto. Nos últimos anos, o segmento Gastronômico Brasileiro tem passado por uma verdadeira revolução. Foram criados Cursos Médios e Universitários voltados para a Tecnologia da Alimentação, formando técnicos, nutricionistas, arquitetos e engenheiros de alimentos, os quais, atuando na Área Privada e Pública, foram determinantes para a melhoria da nossa Alimentação.

Nossa Nave Espacial, a Terra, agradece a mais essa iniciativa!